Teste de Carga com Bombonas Plásticas e ou Teste de Carga com Tambores de Ferro

A empresa Comercio de Ferro Nossa Sra. da Piedade comercializa para todo o estado do Rio de Janeiro – RJ Bombonas Plásticas e Tambores de Ferro usados, para a finalidade também de Teste de Carga.

Teste de Carga ou Prova de Carga definição:

Teste de carga é o conjunto de procedimentos não destrutivos executados por empresa especializada a fim de, verificar se a obra está construída de acordo com o que foi previsto no projeto, o ensaio é feito utilizando em geral bombonas plásticas e ou tambores de ferro, com água e são feitas medições para verificar parâmetros de deformação, defletômeros e outros. Pode ser também destrutiva feita em peça aleatória. São emitidos relatórios ou laudos.

Quando há dúvidas sobre o desempenho estrutural de um elemento construtivo ou mesmo de toda estrutura, uma alternativa é realizar um teste de carga ou prova de carga parcial ou total. O teste de carga é denominado também como prova de carga. A técnica também é aplicável para atestar a qualidade de estruturas e fundações novas ou que sofreram mudança de uso ou passaram por recuperação e reforço. Para o teste de carga, a empresa Comercio de ferro Nossa Sra. Da Piedade comercializa bombonas plásticas e ou tambores de ferro, para essa finalidade.

VEJA ABAIXO UMA MATÉRIA DE EXEMPLO DO USO DE TAMBORES DE FERRO PARA TESTE DE CARGA.

Tambores de água vão testar estrutura do Teatro de Arena

Durante a avaliação serão utilizados 360 galões para avaliar a resistência das arquibancadas.

teste-carga-comercio-de-ferro

A Prefeitura de Campinas (SP) começa na próxima segunda-feira (15) os testes de avaliação de capacidade estrutural das arquibancadas do Teatro de Arena do Centro de Convivência Cultural (CCC). A ação, que é parte do diagnóstico para recuperação e reforma do prédio — interditado desde dezembro de 2011— terá um teste de carga feito com galões de água nas arquibancadas e durará três semanas.

Nesta quarta-feira (10), cerca de 180 galões já estavam no Convivência, de um total de 360 tambores com 200 litros de água de reúso, cada um. A intenção é constatar se há deformação e avaliar a resistência da estrutura. O teste faz parte da primeira fase de estudo da reforma do CCC, que inclui ainda investigação das estruturas e projeto de impermeabilização da construção — tanto arquibancadas quanto a cobertura.

Primeiro laudo

O laudo do estado do concreto do prédio público foi entregue na semana passada para análise e não há uma conclusão ainda. Também será sondado o subsolo e o nível de intervenção necessário na edificação. A previsão para término é de meados de novembro, com custo estimado de R$ 570 mil.

Nesse período de testes, o acesso ao Teatro de Arena ficará fechado por grades e só deve ser reaberto em quatro semanas, segundo a Prefeitura. Os testes fazem parte do projeto de reforma do espaço, que está sendo custeado pela construtora Rossi, por meio de um acordo de compensação. A Rossi contratou uma empresa especializada para executar os testes no espaço.

Primeira fase

A Secretaria Municipal de Infraestrutura é a responsável pela fiscalização da obra, em conjunto com a Secretaria Municipal de Cultura. O teste faz parte da primeira fase de estudo da reforma do CCC, que inclui ainda investigação das estruturas e projeto de impermeabilização do prédio — tanto arquibancadas quanto a cobertura.

Parte da segunda fase de estudo do Convivência deve ocorrer paralelamente e inclui estudo da instalação elétrica e hidráulica. Segundo a Administração, a proposta é que no início de 2015 o processo de edital comece a ser feito, para que no segundo semestre a empresa para reformar o CCC seja contratada por meio de licitação.

Histórico

Desde a sua inauguração, em 1974, o complexo do Centro de Convivência não passou por nenhuma reforma completa, recebendo apenas obras pontuais. Em 2012, após a interdição, reabriu parcialmente entre janeiro e fevereiro para a campanha de popularização do teatro. Desde então, a população de Campinas nunca mais viu o local receber artistas ou apresentações.

A capacidade do Teatro de Arena é de aproximadamente 3 mil pessoas, enquanto o teatro interno Luís Otávio Burnier comporta 529 pessoas.

 

FONTE: http://correio.rac.com.br/_conteudo/2014/09/capa/campinas_e_rmc/205252-tambores-de-agua-vao-testar-estrutura-do-teatro-de-arena.html